Bahia cumpre metas do Programa Água Doce e terá novo convênio em 2020

Bahia

Novos sistemas de dessalinização, mobilização social e sustentabilidade ambiental. Esses foram os principais pontos discutidos durante a II Reunião de acompanhamento da execução do Programa Água Doce (PAD), realizada de terça (24) a hoje (26), em Maceió – Alagoas. Uma comitiva do Governo do Estado, composta pelo secretário estadual do Meio Ambiente (Sema), João Carlos Oliveira, e técnicos que trabalham diretamente na execução do programa apresentou as propostas e estratégias da Bahia para os próximos 10 anos.

Durante os três dias, os gestores estaduais puderam discutir a execução do programa nos estados em que atua, com o foco na implantação, operação, manutenção e monitoramento dos sistemas, além de apresentar os Planos Estaduais do Programa Água Doce para o período 2020-2029, o planejamento para a Fase II do PAD e debater a construção da Política Nacional de Dessalinização.

A Sema apresentou uma proposta de arranjo institucional, que envolve as esferas governamentais, comunidade, academia, Comitê de Bacias Hidrográficas, entre outros atores. “Estamos trabalhando para que os sistemas não sejam apenas metas físicas, mas estruturas de políticas públicas permanentes de acesso a água de qualidade. Com a Inclusão de todos nesse processo, pretendemos aperfeiçoar a metodologia com novas tecnologias e com foco na sustentabilidade, aumentando a efetividade do PAD na Bahia”, destaca o secretário João Carlos.

O novo convênio com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) previsto para 2020 irá beneficiar aproximadamente 120 mil pessoas do semiárido baiano, e contará com o uso da energia solar. O investimento previsto é de R$ 158 milhões, atendendo 400 localidades.

Deixe sua avaliação!

Mais Notícias de Bahia